sábado, 7 de maio de 2016

JUNIORES DA NAVAL ASCENDEM À I DIVISÃO NACIONAL

 Foi uma longa caminhada, mas como diria Marinho Serpa no final da partida “valeu a pena” e valeu mesmo, porque hoje tive oportunidade de assistir a um jogo de futebol entre duas equipas com um objectivo bem definido, o pódio da I Divisão.

E para além do resultado e da forma como se foi construindo vi uns “ putos” que a partir de uma certa altura parecia que tinham o diabo no corpo tal era a raça e o frenesim com que atacaram a partida, nomeadamente na 2ª parte à procura daquele que será certamente um dos primeiros grandes êxitos da sua curta carreira.

Ainda não estava atingida a meia hora e os rapazes que viajaram da Pérola do Atlântico já venciam por 2-0. Os da casa pareciam atarantados com o que lhes estava a acontecer, todavia, honra lhes seja feita, nunca atiraram a toalha ao chão e em cima do intervalo marcaram, reabriram o jogo e quiseram dizer contem connosco para a segunda parte.
 E as expectativas não saíram goradas, o intervalo foi bom conselheiro e os figueirenses foram à luta, e torno a repetir as palavras do seu técnico “eles acreditaram em si próprios, acreditaram no seu valor” e a cerca de 15 minutos do final venciam por 3-2 depois de anularem uma desvantagem de dois golos.

Depois de se chegar até aqui pensou-se que as coisas estavam resolvidas e do Estoril começaram a soprar bons ventos (o Real Massamá estava a perder por 1-0) mas o Marítimo quis novamente entrar no jogo e consegui-o a cinco minutos do final com o alcançar da igualdade a 3 golos.
Que balde de água fria para os figueirenses que de todo não mereciam o que lhes estava a acontecer e nos minutos finais deram lição tremenda de abnegação, como costuma dizer-se, perdido por um…perdido por mil e já em tempo de compensação surgiu o golo que deu asas ao sonho nos pés de Nuno André que se encarregou de cobrar uma grande penalidade indiscutível a punir um derrube do guardião forasteiro a JP.

Seguiu-se obviamente a festa, uma festa de orgulho e não poderá haver nenhum adepto da Naval que não se possa sentir orgulhoso destes bravos rapazes que hoje souberam superar as contrariedades de uma partida que até não estava a correr de feição, a superar as vicissitudes de uma intempérie que alagou o sintético figueirense (será bom que os técnicos revejam o sistema de drenagem) e escreveram mais uma página brilhante no historial do 5ª clube mais antigo do país, Associação Naval 1º de Maio ainda em comemorações do seu 123º aniversário.

Transmissão em directo do encontro pela Figueira TV

1 comentário:

Anónimo disse...

Convidem os anormais da CMFF para comerem uma fatia de bolo e beberem um copo de champanhe para comemorarem esta subida e o aniversário desta velha SENHORA ASSOCIAÇÃO NAVAL 1º de MAIO !!! Que Raiva vai nesses corações!!! LOLOLOLOL